Sim, UCF pode falar que é campeã nacional de 2017

Browse By

Na próxima segunda (8), Alabama e Georgia brigarão em Atlanta pelo título da FBS. Mas antes disso, em Orlando, UCF fará duas paradas para comemorar seu título nacional, uma na Disney e outra no centro da cidade. E aí? Dá para aceitar?

Bom, vamos ao primeiro ponto da história. Os dois times que lutarão pelo título tiveram uma derrota cada na temporada. Coincidentemente, as duas para Auburn. E como foi a campanha de Central Florida no ano? 13 vitórias e nenhuma derrota, incluindo um triunfo contra a mesma Auburn no Peach Bowl, aquele que dava para falar que era o maior jogo da história do programa de Orlando.

Mas daí a dizer que é campeã nacional? Pode isso, Arnaldo?

Bom, o college football só passou a ter algo parecido com uma final em 1993, então antes disso (e até depois), as equipes que estavam no topo de rankings reconhecidos pela NCAA simplesmente falavam que tinham sido campeãs e pronto. Ninguém pode discutir de verdade isso.

Vamos a um dos exemplos mais curiosos deste método. Em 1941, Alabama venceu nove jogos, incluindo o Cotton Bowl contra Texas A&M, e perdeu dois, terminando em 20º lugar no ranking da Associated Press, que já era o mais aceitado. Só que em um sistema matemático aceito pela NCAA, o Houlgate, o Crimson Tide afirma que é campeã nacional daquele ano, junto com Minnesota – votada pela AP como melhor equipe do país e que também estava no topo de vários outros rankings. Texas foi selecionada como campeã daquele ano por dois sistemas, mas não decidiu brigar por este título.

Voltemos a 2017. Por mais que exista o College Football Playoff, a NCAA ainda designa rankings, votações e sistemas que abrem espaço para que um time diga que foi campeão nacional mesmo sem ganhar a final. E no ranking de Peter Wolfe, um dos métodos credenciados pela NCAA, UCF aparece no topo e com uma vantagem considerável sobre Georgia, que está na segunda posição. Wolfe ainda não atualizou seu sistema após os bowls, mas tudo leva a crer que não mudaria muito, até porque os Knights já dominavam o topo há algum tempo.

LEIA TAMBÉM:  Na sombra de Bama e Auburn, os Blazers renascem das cinzas

Isso quer dizer que UCF realmente vai fazer o pedido pelo título com base nisso? Não dá para saber ainda. Mas a universidade tem feito muita coisa para falar que é campeã, como organizar as paradas e até pagar os bônus de Scott Frost e sua comissão técnica como se eles tivessem sido campeões nacionais.

De toda forma, as paradas, os bônus e toda a empolgação da torcida em Orlando são um ótimo reconhecimento da direção da universidade, diferentemente do que aconteceu no mundo do college football. Era óbvio que o comitê do CFP estava deixando UCF de lado, provavelmente com medo de que se acontecesse um caos, teriam que colocar os Knights nos playoffs. Então a equipe de Orlando foi ultrapassada até por times do Power Five que tinham três derrotas em algumas instâncias. Ela só apareceu em sua melhor posição (12ª lugar) na última semana em que já não havia nenhuma chance de estrago e tudo estava definido.

Então faça sua festa, torcedor de UCF! Comemore, mesmo que o resto do mundo do college football não te dê tanta atenção. A temporada dos Knights foi sensacional e merece mais reconhecimento do que teve.

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também