Preview: Heart of Dallas Bowl – Utah vs. West Virginia

Browse By

Após começarem 2017 de maneira relativamente forte, tanto Utah quanto West Virginia acabaram indo ladeira abaixo e tentam conseguir ao menos uma vitória no bowl game para terminar o ano de forma positiva. Neste duelo,  entretanto, lesões dos quarterbacks titulares representam um grande problema: um não jogará e o outro provavelmente ainda estará baleado – o que torna o matchup um pouco mais interessante e difícil de prever.

📝 O que? Heart of Dallas Bowl – Utah Utes (6-6) vs. West Virginia Mountaineers (7-5)
🕛 Quando? Terça-feira, 26 de dezembro, às 16h30 (horário brasileiro de verão) 
🌎 Onde? Cotton Bowl – Dallas, Texas
📺 Como assistir? ESPN+ e fique de olho em nosso Twitter

>> Clique aqui e confira nossa Central dos Bowls <<

📚 Histórico: Utah lidera por 1-0
🆚 Último confronto: Utah 32, West Virginia 6 (1964)
🎰 Linha de Vegas: 6,5 – Utah

Tendo surgido em 2011 com o nome de “TicketCity Bowl”, o Heart of Dallas Bowl nasceu para substituir “fisicamente” o Cotton Bowl Classic, que se mudou do estádio homônimo para o novo e luxuoso AT&T Stadium, em Arlington (casa do Dallas Cowboys). E, desde então, se tornou um ótimo jogo para quem gosta de ver ataques em plena capacidade: nas seis edições disputadas até então, o vencedor fez pelo menos 30 pontos! O tie-in original envolve um time da Big Ten ou Big 12 contra um da Conference-USA – embora este ano Utah, da Pac-12, tenha “tomado” para si o lugar no jogo deste ano.

🛤 A estrada até Dallas

Foi um ano atípico para Utah. Depois de acumular 28 vitórias nas três temporadas anteriores, os Utes até começaram bem com vitórias fora da conferência (contra times fracos), mas eventualmente implodiram na disputa dentro da Pac-12: foram seis derrotas! Das três vitórias, duas foram contra times fracos quando estes estavam sem seus quarterbacks titulares (UCLA sem Josh Rosen e Arizona sem Khalil Tate) e terceira foi na última rodada, garantindo as seis necessárias para jogar um bowl game. Felizmente, o head coach Kyle Whittingham tem um bom retrospecto na Bowl Season: desde que assumiu o programa, está 10-1 em pós-temporada.

West Virginia também sofreu em 2017. Com vitórias sobre Texas Tech, Baylor, Iowa State e Kansas State, os Mountaineers chegaram a estar em posição relativamente confortável para alcançar uma vaga na final da Big 12, mas derrotas nas duas últimas rodadas contra Texas (uma surpresa) e Oklahoma (esperada) fizeram com que a equipe terminasse o ano em 7-5 e, além disso, perdesse seu quarterback Will Grier para uma lesão. Vale citar que WVU está numa situação totalmente contrária à de Utah no que diz respeito a desempenho em bowl games: os Eers venceram apenas dois dos últimos sete em que participaram!

Tyler Huntley, quarterback de Utah.

Quando Utah tiver a bola

A grande questão do ataque de Utah é quem será o quarterback titular: Troy Williams ou Tyler Huntley. Huntley era o titular e o time funcionava melhor com ele em campo por causa de suas habilidades como dual threat. Ele é 15º melhor jogador do país em jardas totais por jogo, com média 302,9 a cada confronto. Com Williams, apesar da vitória contra Colorado, o ataque é bem mais limitado, já que ele não acrescenta tanto no jogo corrido e não é tão preciso passando quanto Huntley. Mas qualquer um dos dois que for titular terá a ajuda do ótimo running back Zack Moss (1023 jardas e 9 TDs) e do bom wide receiver Darren Carrington (918 jardas e 6 TDs).

LEIA TAMBÉM:  Preview: Cactus Bowl - Kansas State vs. UCLA

Pensando na Big XII, a defesa dos Mountaineers nem é tão ruim assim. O problema é que ela cede muito mais ao jogo terrestre, que é justamente o que Utah tentará fazer mais durante o confronto. E ela ainda é pior defendendo jogadas longas. West Virginia cedeu 14 jogadas de mais de 50 jardas e outras oito para mais de 40.

Quando West Virginia tiver a bola

O ataque aéreo de West Virginia foi extremamente prolífico durante a temporada. Três recebedores diferentes – Gary Jennings, David Sills e Ka’Raun White – somaram mais de 900 jardas, com Sills liderando o país em touchdowns (18). Só que a principal peça disso, o quarterback Will Grier está machucado e não jogará, deixando o cargo de titular para Chris Chugunov, que não foi muito efetivo quando substituiu Grier. E para piorar, o running back Justin Crawford preferiu se poupar para possivelmente ir para o draft e não ajudará os Mountaineers no bowl.

Curiosamente, a defesa de Utah cedeu o mesmo número de pontos por jogo do que na temporada passada (23,9). E como já é de costume, a unidade é bem equilibrada, cedendo apenas 140 jardas por jogo pelo chão e 213 pelo ar. O destaque fica com o defensive end Bradlee Anae, que entra bastante no backfield adversário, somando sete sacks e dez tackles para perda de jardas.

David Sills, recebedor e esperança ofensiva de WVU.

🔜 Draftáveis

Pelo lado de Utah, o wide receiver Darren Carrington é um wide receiver que encheria os olhos dos olheiros da NFL, mas ele só chegou em Salt Lake City por causa de problemas extra-campo enquanto estava em Oregon. O strong safety Chase Hansen também é um bom jogador para ficar de olho.

West Virginia teria dois prospectos muito interessantes para o draft no quarterback Will Grier e o wide receiver David Sills, mas os dois anunciaram recentemente que voltarão para disputar a temporada 2018 com o time de Morgantown.

🔮 Previsão

Bassi Henrique João Vitor Kelvin Matheus Nick Vitor Weinny

Comentários

comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também