Preview: Gasparilla Bowl – Florida International vs. Temple

Browse By

Florida International é um programa recente, fundado ainda nesse milênio, e chega ao terceiro bowl game de sua história. Temple iniciou seu time de futebol americano há mais de um século, e apesar de lhe faltar muita tradição, chega ao seu terceiro jogo de pós-temporada seguido, sexto na história. Em 2017, Golden Panthers e Owls se enfrentam pela primeira vez na história, colocando Geoff Collins, head coach de Temple, frente a frente com seu antigo time, onde foi coordenador defensivo em 2010 e ajudou FIU a chegar na primeira vitória de bowl em sua história.

📝 O que? Bad Boy Mowers Gasparilla Bowl – FIU Golden Panthers (8-4) vs. Temple Owls (6-6)
🕛 Quando? Quinta-feira, 21 de dezembro, às 23h00 (horário brasileiro de verão)
🌎 Onde?  Tropicana Field – St. Petersburg, Flórida
📺 Como assistir? ESPN

>> Clique aqui e confira nossa Central dos Bowls <<

📚 Histórico: Esse será o primeiro confronto entre os programas
🆚 Último confronto: N/A
🎰 Linha de Vegas: 7 – Temple

O Bad Boy Mowers Gasparilla Bowl terá a sua décima edição jogada em 2017, apesar dessa ser a primeira vez com esse nome simplesmente fantástico. Até o último ano, o bowl game era conhecido como St. Petersburg Bowl, em referência à cidade da Florida que novamente receberá a pós-temporada do college football.

🛤 A estrada até St. Petersburg

Temple e Florida International tiveram caminhos muito diferentes, deixando as respectivas fanbases com sensações completamente distintas sobre o rumo dos programas. Os Owls, de duas temporadas seguidas com dez vitórias e título na American em 2016, regrediram na defesa e passaram muito longe do feito na primeira temporada sem Matt Rhule (Baylor) no comando. Se parte dos problemas vieram com a tabela relativamente forte, que incluiu Notre Dame, South Florida e UCF, Temple teve dificuldades para bater adversários de nível inferior, como Villanova, UMass, e Cincinnati, além de uma derrota ruim para UConn. Assim, os Owls só chegaram aos 50% de aproveitamento para a bowl season na última semana, vencendo três das últimas quatro partidas. Grande parte do esforço para salvar a pós-temporada na Filadélfia veio com o quarterback Frank Nutile, que ganhou a titularidade após a lesão de Logan Marchi e tomou conta da posição, mostrando resultados consideravelmente melhores em proporção nos seus cinco jogos do que Marchi nos primeiros sete.

Do outro lado, alegria. Assim como Collins, o experiente Butch Davis também está no primeiro ano como head coach de sua equipe, mas com resultados muito melhores. A vitória no Gasparilla Bowl faria de 2017 o melhor ano da história do programa de futebol americano de Florida International, chegando a nove vitórias. Com um ataque capaz de mover as correntes compensando por uma defesa relativamente frágil, os Golden Panthers só tiveram uma derrota realmente ruim na temporada, contra Old Dominion em casa, apesar de ter passado por diversas dificuldades contra times muito abaixo da média, como Charlotte, Rice e Alcorn State. De qualquer forma, uma grande temporada para a equipe da Flórida para alcançar o terceiro bowl game de sua história, e se espera um time muito motivado para se tornar recordista absoluto de vitórias no programa.

Alex McGough, o quarterback que liderou FIU na temporada.

http://i.turner.ncaa.com/dr/ncaa/ncaa7/release/sites/default/files/images/logos/schools/f/FIU.70.pngQuando Florida International tiver a bola

O ataque dos Golden Panthers não é nada espetacular, mas é capaz de produzir bons resultados dentro de campo. Liderados pelo quarterback senior Alex McGough, que já é dono de alguns recordes do programa, FIU leva para o jogo um ataque sólido e experiente, que, apesar de não colocar muitas jardas por jogo, aparece em momentos decisivos: os Panthers lideram a NCAA na categoria “ataque na red zone“, pontuando em 39 das 40 aparições dentro da linha de 20 jardas do adversário, além de ter ótimos resultados em conversões de terceira descida, com quase 45% de taxa de conversão. Esses dados se mantiveram altos mesmo após a equipe perder Thomas Owens, o melhor wide receiver da equipe, para o resto da temporada, e McGough mostrou não precisar dele para colocar muitos pontos nas últimas partidas.

Do outro lado, uma defesa que regrediu sim, mas que ainda tem armas para criar jogadas negativas. Foram mais de 30 sacks e 90 tackles para perda de jardas na temporada, liderados por jogadores como Jacob Martin e Sharif Finch, prontos para colocar o ataque adversário em condições desfavoráveis. Esse duelo será interessante e importante para o jogo, visto que Florida International tem uma linha ofensiva que cedeu apenas 22 sacks na temporada. De qualquer forma, uma das chaves do jogo se torna a quantidade de vezes que a defesa de Temple conseguirá sair de campo, e isso depende necessariamente em impedir o eficiente ataque dos Golden Panthers conseguir novas descidas, visto a dificuldade dessa defesa em forçar muitos turnovers.

http://i.turner.ncaa.com/dr/ncaa/ncaa7/release/sites/default/files/images/logos/schools/t/temple.70.png

Quando Temple tiver a bola

O ataque de Temple é abaixo da média, mas achou em Nutile um quarterback capaz de produzir grandes jogadas, tendo só um jogo muito ruim desde que começou de titular há algumas semanas, quando lançou quatro interceptações contra Central Florida. Temple ainda terá ajuda de Isaiah Wright, wide receiver com quase 600 jardas em 41 recepções, além de ser uma arma no jogo terrestre, com média de mais de oito jardas por carregada em 23 tentativas.

O ataque explosivo dos Owls terá um duelo interessante, mas favorável, contra a defesa de Florida Atlantic. Apesar de um bom cornerback no senior Brad Muhammad, a unidade defensiva dos Panthers como um todo não teve boas atuações durante o ano, especialmente contra o jogo aéreo.

O quarterback Frank Nutile foi o destaque de Temple na temporada.

🔜 Draftáveis

O Bad Boy Mowers Gasparilla Bowl não será de grandes expectativas para o Draft da NFL, mas colocará em campo alguns talentos interessantes. Do lado de Florida International, nenhum tem grande possibilidade nesse momento de ter seu nome chamado no draft, mas podem aparecer como undrafted free agents, talvez até encontrando espaço em um plantel da liga profissional. Infelizmente, o que deve ser o maior prospect dos Golden Panthers, Thomas Owens, não estará em campo por conta de lesão já citada. Nesse caso, é possível falar do right guard Jordan Budwig, senior e líder da competente linha ofensiva de FIU, que pode ganhar destaque nos processos antes da seleção profissional e encontrar espaço nas últimas rodadas.

Do lado de Temple, ambos os bons pass rushers Martin e Finch podem ter sucesso encontrando um time nas escolhas finais e certamente devem receber ligações caso não sejam selecionados. O maior destaque da equipe, contudo, está no defensive back Sean Chandler, que teve boas participações na defesa de Temple nas últimas temporadas e entrou na watch list de prêmios para defensores como o Bednarik e o Thorpe tanto em 2016, quanto em 2017. Versátil, o jogador era cornerback até o início da temporada, quando se tornou free safety para a secundária dos Owls. Assim, não seria surpresa ver Chandler saindo a partir da quarta rodada do Draft NFL de 2018.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também