Preview: Final da SEC – #2 Auburn vs #6 Georgia

Browse By

A rivalidade mais antiga do college football sulista está de volta – e desta vez, com ingredientes que devem aumentar ainda mais a intensidade das duas equipes: Georgia e Auburn nunca se enfrentaram em uma final da SEC antes, e esta partida deve ser uma das mais importantes da história da rivalidade (se não for a mais importante, claro). Auburn vem com o momento a seu favor, após vencer Alabama em casa com autoridade por 26 a 14 e quebrar a invencibilidade da Crimson Tide na temporada, garantindo vaga para a final de conferência; por outro lado, Georgia (que chegou a ocupar o #1 dos rankings do College Football Playoff) não esqueceu a derrota para Auburn por 40 a 17 há três semanas e procura vingança num ambiente menos “hostil”. Como sempre, o SEC Championship terá implicações diretas no Playoff.

Data e Horário: Sábado, 2 de dezembro, às 18h30 (horário de Brasília)
Onde: Mercedes-Benz Stadium – Atlanta, Geórgia
Confronto durante a temporada: Auburn 40, Georgia 17
Linha de Vegas: 1,5, Georgia

O que vale?

Pelo bom ranqueamento dos finalistas, o vencedor da SEC será um dos times escolhidos pelo comitê para fazer parte do playoff. O time que perder deve representar a SEC em um dos bowls de ano novo, mas isso não é uma ciência exata. Dependendo da configuração dos campeões de conferência, Alabama poderia ser o time favorito na SEC para o New Year’s Six.

Quando Auburn estiver com a bola

O ataque dos Tigers tem abusado do jogo terrestre para conseguir manter o time na ponta no placar. O time tem inclusive tido mais sucesso pelo chão do que pelo ar. Até o momento, Auburn conquistou 2852 jardas terrestres, diante das 2791 jardas aéreas, lançadas em suma maioria pelo quarterback Jarrett Stidham.

Contra Alabama, naquele que foi o jogo mais importante dos Tigers na temporada, Kerryon Johnson foi acionado em 30 oportunidades, e ainda recebeu mais outros três passes. O principal running back de Auburn ganhou os holofotes após a lesão de Kamryn Pettway, que era o principal nome do ataque da universidade até o início da temporada. O técnico Gus Malzahn tem preferido tirar a pressão de cima de seu principal passador desde a derrota para LSU na semana 7, deve continuar apostando no talento de Johnson – que é dúvida para a partida – e do running back Kam Martin, utilizando o jogo aéreo em doses seguras para vencer a partida.

Quando Georgia estiver com a bola

O time que tomou o cenário do college football de assalto até o começo de novembro teve suas fraquezas expostas justamente contra Auburn. A linha ofensiva de Georgia pouco pôde fazer contra a forte unidade defensiva dos Tigers – faltou um personnel mais físico para os Bulldogs naquela partida. O jogo corrido (principal arma de Georgia na temporada com Nick Chubb e Sony Michel, de longe a melhor dupla de running backs do futebol americano universitário) conseguiu apenas 46 jardas em 32 tentativas, numeros pífios para um ataque terrestre que garantiu vitórias tranquilas para os Dawgs sobre Kentucky e Georgia Tech nas últimas semanas.

Se Georgia quiser vencer o jogo, é preciso que Chubb e Michel consigam estabelecer um sólido ataque terrestre para evitar que o quarterback calouro Jake Fromm – que sofreu quatro sacks no jogo contra Auburn e não fez muita coisa passando a bola – fique muito pressionado a forçar passes e (eventualmente) tomar decisões ruins. Georgia também precisa se preocupar com disciplina: os Dawgs cederam pontos (touchdowns inclusive) em erros bestas como uma falta por roughing the punter e um fumble na hora de retornar um punt. Numa final de conferência, não se pode deixar que o adversário capitalize em cima de jogadas estúpidas e evitar “erros mentais” é fundamental para o título.

Draftáveis

Pelo lado de Auburn, a linha ofensiva tem sido ótima após os problemas contra Clemson, abrindo espaços para Kerryon Johnson e protegendo bem Jarrett Stidham. Boa parte disso se deve a dois jogadores elegíveis, o center Austin Golson e o guard Braden Smith. Na defesa, os dois principais nomes estão na secundária: o cornerback Carlton Davis, um dos melhores jogadores disponíveis na posição, e o free safety Stephen Roberts.

No ataque dos Bulldogs, o ótimo running back Nick Chubb já é visto como um bom prospecto na posição há algum tempo. Na melhor unidade da equipe, a defesa, fique de olho em três nomes: o defensive tackle Trenton Thompson, o linebacker Lorenzo Carter e o free safety Dominick Sanders.

 

Comentários

comments

LEIA TAMBÉM:  Calouros brilham e Alabama conquista - de virada - seu 17º título nacional

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também