Preview: Camellia Bowl – Middle Tennessee vs. Arkansas State

Browse By

Para Middle Tennessee, vale a primeira vitória em um bowl desde que o programa se mudou para a Conference USA. Para Arkansas State, é a chance de fechar a temporada de maneira honrosa, já que o título da Sun Belt não veio por pouco. Ataques bem elaborados e defesas que vão pra cima sem medo algum de ser feliz. Azul contra vermelho, corsários contra lobos: bem-vindos ao Camellia Bowl de 2017!

📝 O que? Raycom Media Camellia Bowl – Middle Tennessee Blue Raiders (6-6) vs Arkansas State Red Wolves (7-4)
🕛 Quando? Dia 16 de dezembro, às 23h00
🌎 Onde? Cramton Bowl – Montgomery, Alabama
📺 Como assistir? WatchESPN e fique de olho em nosso Twitter

>> Clique aqui e confira nossa Central dos Bowls <<

📚 Histórico: Middle Tennessee lidera a série com 9 vitórias e 5 derrotas
🆚 Último confronto: Arkansas State 45, Middle Tennessee 0 (2012)
🎰 Linha de Vegas: 3,5 – Arkansas State

Homônimo de um bowl game realizado em 1948 na Louisiana, e do nome que era dado às finais de divisões inferiores até 1980, o Camellia Bowl, da forma que conhecemos hoje, teve sua primeira edição disputada apenas em 2014. Nas suas três únicas edições, o conglomerado de comunicação Raycom Media, que opera no sudeste dos Estados Unidos (com sede na própria cidade de Montgomery), foi o patrocinador do bowl – fato este que é no mínimo curioso, já que os direitos de transmissão pertencem a ESPN americana, no que acaba implicando, portanto, em uma ação publicitária de um canal dentro de uma outra rede de televisão.

🛤A estrada até Montgomery

Se eu quisesse classificar o ano de Middle Tennesse, o faria apenas com uma palavra: correto. Nem ruim, muito menos ótimo. MTSU venceu os jogos que tinha que vencer e perdeu os que tinha que perder. Óbvio, como sempre há os acidentes de percurso, tanto para o bem quanto para o mal. Uma vitória contra Syracuse, equipe que derrotou a atual #1 Clemson, foi uma grata surpresa, mas perder pra UAB e Western Kentucky não estava nos planos do experiente head coach Rick Stockstill – que inclusive já foi assistente dos Tigers (coincidências da vida, não?). Muito dessas derrotas pode ser atribuído à ausência do seu quarterback titular, mas deixemos esse assunto para daqui a pouco. Os Blue Raiders conseguiram a vaga para a bowl season na bacia das almas, com uma vitória sobe Old Dominion na última semana.

Um calendário fraco acabou criando uma certa expectativa para os torcedores de Arkansas State. Após dois anos sendo coroados como campeões da Sun Belt (ano passado de maneira dividida), a equipe de Blake Anderson entrava forte novamente. Teoricamente, só Nebraska e Miami seriam derrotas certas. A partida contra os Hurricanes acabou nem acontecendo por conta do furacão Irma. Tudo estava no script e correndo bem. Ok, a derrota para a fraca South Alabama doeu, mas parecia que tudo iria bem de novo… Até chegar o jogo contra Troy. Os Red Wolves mais uma vez se mostravam consistentes e lideravam o placar até os 17 segundos finais contra o rival direto. Foi aí que veio a virada. Resultado: derrota por 32 a 25 e o fim do sonho do tricampeonato.

Brent Stockstill, “filho do chefe” e quarterback de MTSU.

Quando Middle Tennessee tiver a bola

Aqui está o grande confronto da noite. Uma lesão limitou Brent Stockstill (sim, é o filho do chefe) a disputar seis jogos na temporada. Quando Stockstil voltou, as coisas melhoraram significativamente. Não por acaso, os Blue Raiders foram 4-2 na presença de Stockstill e 2-4 sem ele. O ataque ainda ficaria completo com a recuperação do running back Terelle West, que doutrinou Old Dominion na última semana (195 jardas totais e dois touchdowns). West era projetado como titular da equipe quando a temporada começou e explicou isso na sua primeira partida como titular. Uma participação do jogo corrido seria excelente para os Blue Raiders já que…

A pressão da defesa de Arkansas State é assustadora. São 92 tackles para perda de jardas e 34 sacks, colocando o setor entre os dez melhores do país em ambas as categorias. E tudo passa pelas mãos e pelos pés do eleito pela segunda vez seguida jogador do ano da Sun Belt, Ja’Von Rolland-Jones. O defensive end precisa de apenas dois sacks para igualar ninguém menos que Terrell Suggs como o maior “derrubador de quarterbacks” da história da FBS.  A secundária também vem fazendo um trabalho sólido, sendo a mais bem colocada da conferência no que se diz ao rating dos QBs adversários. Portanto, se você gosta de uma defesa agressiva, vai encher os olhos com essa unidade de Joe Cauthen.

 Quando Arkansas State tiver a bola

O ataque de Arkansas State também não vem desapontando seus fãs. Liderados pelo excelente Justice Hansen, que veio lá da universidade de Oklahoma, o setor é capaz de bombardear qualquer defesa. E isso não será problema no jogo de logo mais. Foram quase 500 jardas ofensivas por jogo, muito bem distribuídas entre seus jogadores por sinal. E esse número tenderá a ser seguido se o rival não resolver fazer seu dever de casa. Além de seus passes para TD (foram 34 nessa temporada), Hansen também se transformou numa perigosa arma terrestre ao aumentar consideravelmente seu envolvimento nesse plano de jogo.

A Middle Tennesse, só resta utilizar o mesmo ponto forte da unidade do adversário: pass rush. Assim como é o caso de Arkansas State, se você deixar Hansen livre pra fazer o que quiser, ele irá te castigar. Mas os Blue Raiders vêm bem quando o assunto é incomodar o backfield. A defesa de Scott Schafer tem a 18ª melhor marca do país em tackles para perda de jardas, o que limita os corredores adversários a apenas 3,6 jardas por tentativa. O problema é que se der tempo, a fraca defesa contra o passe será claramente exposta. Olho na linha defensiva, que terá um papel fundamental nessa partida.

Justice Hansen, quarterback de Arkansas State.

🔜 Draftáveis

Além de Ja’Von Rolland Jones, do qual já falamos aqui, outro jogador que deve ter seu nome chamado lá em abril é seu parceiro de trincheiras Dee Liner (nota do editor: que nome sensacional para um DL). Atuando mais pelo interior da linha, Liner também foi bastante dominante quando lhe foi exigido, embora tenho sido muito ofuscado pelo seu colega alguns metros mais ao lado. O tight end  Blake Mack também merece uma vaguinha aqui, já que ajudou demais o time em descidas e situações de jogo cruciais na partida ao longo de sua carreira.

Pelo lado de Middle Tennessee, o grande destaque é o incrível wide receiver Richie James. James perdeu grande parte da temporada devido a uma lesão na clavícula e isso certamente deverá contar negativamente para seu stock. Antes cotado para sair bem cedo, um dos atletas mais dinâmicos da FBS agora deve figurar nos mid-late rounds.

🔮 Previsão

Bassi Henrique João Vitor Kelvin Matheus Nick Vitor Weinny

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também