Preview: Boca Raton Bowl – FAU vs. Akron

Browse By

Se o jogo tiver metade do potencial que tem o nome do evento, já estamos bem. O CHERIBUNDI TART CHERRY BOCA RATON BOWL (fazemos questão de chamar este bowl por seu nome completo) este ano nos proporciona a rara oportunidade de ver um programa jogar um bowl não só na sua cidade, mas dentro de seu campus e estádio: FAU, que vem de uma temporada redentora sob o comando de Lane Kiffin, enfrentará Akron (vice-campeã da MAC) em seu próprio FAU Stadium. Nada mais justo para apenas a terceira aparição do programa na bowl season – e a primeira desde 2008.

Curiosamente, esse time de Akron também tem laços com a Flórida: o head coach dos Zips, Terry Bowden, é filho do lendário ex-treinador de Florida State Bobby Bowden.

📝 O que? Cheribundi Tart Cherry Boca Raton Bowl – FAU Owls (10-3) vs. Akron Zips (7-6)
🕛 Quando?
 Terça, 19 de dezembro, às 22h00 (horário brasileiro de verão)
🌎 Onde?
FAU Stadium – Boca Raton, Flórida
📺 Como assistir? ESPN+ e fique de olho em nosso Twitter

>> Clique aqui e confira nossa Central dos Bowls <<

📚 Histórico: Primeiro confronto na história
🆚 Último confronto:
Nunca aconteceu
🎰 Linha de Vegas: 22.5, FAU

Na sua quarta edição, o Boca Raton Bowl voltará a ter um patrocinador – a Cheribundi Tart Cherry, empresa de bebidas baseada em Nova Iorque, encarregou-se de dar ao evento um dos melhores nomes desta bowl season. Curiosamente, este é um dos poucos duelos desta pós-temporada a serem jogados dentro de um campus universitário – bowl games geralmente ocorrem em complexos esportivos que pertencem à NFL, MLB ou MLS (com exceções, claro). Desde que foi instituído, o bowl é jogado no FAU Stadium, com capacidade para 29.419 torcedores, sendo a terceira menor arena da temporada de bowls, atrás apenas do Cramton Bowl e do Thomas Robinson Stadium (que fica em Bahamas). Apesar da pouca tradição, nas duas únicas edições disputadas, a arena esteve quase lotada – e certamente estará este ano, com FAU tendo o raro privilégio de jogar em casa.

🛤 A estrada até Boca Raton

Que diferença um ano e uma mudança de comissão técnica podem fazer, não é? Essa é a principal trama de Florida Atlantic em 2017. Após um 3-9 desanimador em 2016, o programa surpreendeu o mundo do college football ao contratar Lane Kiffin (exhead coach de Tennessee, USC e coordenador ofensivo de Alabama) como novo treinador, e aposta deu certo: os Owls deram um 360° do ano passado para cá e terminaram com um excelente 8-0 dentro da C-USA, vencendo os nove últimos jogos da temporada – inclusive batendo North Texas de lavada na final de conferência por 41 a 17.

Akron fez uma temporada decente em 2017, porém o fato da equipe chegar à final da MAC diz mais sobre a fraqueza da divisão leste da conferência. A equipe perdeu três dos quatro jogos fora de conferência (vencendo apenas Arkansas-Pine Bluff, equipe da FCS), mas venceu partidas cruciais contra seus adversários de divisão. No entanto, três derrotas acachapantes contra Toledo (48-21 e 45-28 na final em Detroit) fizeram com que a equipe deixasse o título da MAC escapar mais uma vez.

 

O running back Devin “Motor” Singletary

Quando FAU tiver a bola

Os Owls têm no forte jogo corrido seu grande trunfo durante toda a temporada. A equipe possui o décimo melhor ataque da FBS graças a running backs como Devin Singletary (1796 jardas e 29 touchdowns em 2017) e Greg Howell. No total, FAU tem 3682 jardas terrestres e 47 TDs no ano, com uma respeitável média de mais de seis jardas por corrida. Isso se deve não só ao talento desta dupla de running backs, mas também devido a um restante de elenco excelente para padrões do Group of Five: a linha ofensiva, que conta com três jogadores All-Conference USA, e o tight end Harrison Bryant são muito bons tanto na proteção ao passe quanto para abrir caminhos ao jogo corrido. Tudo isso na primeira temporada de Kendal Briles (ex-OC de Baylor chamado por Lane Kiffin) como coordenador ofensivo da equipe.

E o ataque de FAU tem tudo para ir bem, já que a defesa dos Zips não inspira confiança: são mais de três mil jardas aéreas permitidas na temporadas, além de uma média de mais de cinco jardas permitidas por tentativa terrestre. Podemos esperar que Akron permita pelo menos cerca de 240 jardas por terra para FAU. No entanto, há motivos para acreditar nessa defesa: ela consegue interceptações (19 na temporada, com mais de uma em sete dos 13 jogos deste ano) e conta com um talento chamado Ulysees Gilbert III. Gilbert conseguiu 128 tackles, cinco sacks, três interceptações (uma pick-six), um fumble recuperado… Tudo isso só este ano. Mesmo com uma defesa ruim no geral, Akron pode conseguir freios importantes no jogo corrido dos Owls.

Quando Akron tiver a bola

O ataque de Akron não tem nada de explosivo, pelo contrário – e algumas lesões atingiram jogadores importantes da equipe, como o running back Warren Ball (perna machucada). Com isso, Manny Morgan foi o principal corredor do Zips, com apenas 393 jardas e quatro touchdowns na temporada. Já under center, resolveu apelar para novos talentos: Kato Nelson, um redshirt freshman, vem sendo o quarterback titular de Akron nos últimos três jogos após o antigo titular, Thomas Woodson, ter sido suspenso da equipe. Os dois somam 2686 jardas aéreas e 22 touchdowns em 2017.

A defesa de FAU chama bem menos atenção que o ataque; os Owls tiveram um dos piores desempenhos da C-USA contra o jogo aéreo. Mas isso não quer dizer que a unidade não tenha seu valor: a secundária da equipe é especialista em capturar turnovers – tal qual uma certa equipe do sul da Flórida que gosta de usar cordões durante os jogos. Jogadores como o safety Jalen Young (sete interceptações, empatado no topo da FBS na temporada) e o cornerback Shelton Lewis (quatro) fizeram com que FAU atingisse 20 em 2017, novo recore do programa.

O linebacker de Akron Ulysees Gilbert III fazendo um de seus tackles na temporada.

🔜 Draftáveis

Do lado de Florida Atlantic, o nome para ficar de olho é mesmo o safety e All-Conference USA Jalen Young; o líder de interceptações no college football em 2017 é junior e pode ir para o Draft já no ano que vem.

Já por Akron, o principal prospect aos nossos olhos é o wide receiver Kwadarrius Smith (baita nome). O junior não somente foi o principal alvo da dupla de quarterbacks dos Zips em 2017 – 726 jardas e sete touchdowns no ano – como também é um dos jogadores mais rápidos da MAC, já que ele participava da equipe de atletismo de Akron até pouco tempo atrás e correu 60 metros em apenas 6,8 segundos.

🔮 Previsão

Bassi Henrique João Vitor Kelvin Matheus Nick Vitor Weinny

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também