Investigada pela NCAA, Ole Miss se autoimpõe banimento para a Bowl Season de 2017

Browse By

Nesta quarta-feira (22), Ole Miss confirmou através de vídeo que recebeu um aviso de alegações da NCAA. Além das 13 já mencionadas em um aviso de alegações recebido pela universidade no ano passado (que dizem respeito a atos ocorridos durante a passagem do head coach Houston Nutt), há outras oito alegações – seis delas sendo de Nível I, o mais grave de acordo com a NCAA – trazendo o total de irregularidades do programa para 21. O atual head coach da equipe, Hugh Freeze, foi acusado de violar sua legislação de responsabilidade enquanto a universidade foi acusada de falta de controle institucional.

Com o resultado das investigações, Ole Miss decidiu se autoimpor um banimento da Bowl Season na próxima temporada; de acordo com o diretor atlético do programa, Ross Bjork, a universidade (de acordo com as regras da SEC) perderá sua porção dos lucros da conferência na pós-temporada, número estimado em torno de 7,8 milhões de dólares em 2017.

Entre as acusações da NCAA, chama a atenção a alegação de que Ole Miss pagou cerca de 13 mil dólares para um recruta que sequer assinou com o programa. No entanto, nenhuma das alegações diz respeito a Laremy Tunsil, que admitiu em abril de 2016 que recebeu dinheiro de membros da comissão técnica da universidade. Ole Miss tem 90 dias para responder formalmente à nota da NCAA.

De uma forma ou de outra, ainda é cedo para tirarmos conclusões definitivas, uma vez que ainda há toda uma investigação e um processo interno a ser percorrido – incluindo a possibilidade da universidade recorrer de qualquer decisão tomada pela NCAA. Agora, temos que aguardar o próximo capítulo.


Veja abaixo o anúncio postado pela universidade:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também