High School Basketball – Os melhores jogadores da classe de 2017

Browse By

O The Fraternity apresenta o Top 10 da classe de 2017 do basquete, ou seja, as futuras estrelas do college basketball e – por que não – da NBA. Aqui além de classificarem os jogadores, Ítalo Bergamini e Felipe Souza ainda mostram as suas principais características e no que eles podem melhorar para evoluir o seu jogo.

01. DeAndre Ayton (Hillcrest Academy, AZ)

Melhor pivô da classe de 2017, lidera o nosso ranking de forma unânime. O jogador de Bahamas se destaca muito pelo seu porte físico e pela qualidade nos arremessos de curta e média distância. Na temporada atual, ele vem liderando o seu time com 22,1 PPG, 11,6 RPG e 2 BLKPG. Ele ainda conseguiu levar a Hillcrest Academy ao primeiro título do Holiday Invitational, evento organizado pela The John Wall Family Foundation, além de mostrar que pode evoluir nos arremessos nas bolas de três.

O que precisa melhorar: Mesmo tendo um bom porte físico, ele sai perdendo no confronto contra um pivô mais técnico dentro do garrafão. Ele abusa da sua força física e às vezes o quesito técnico é deixado de lado.

02. Michael Porter Jr. (Nathan Hale High School, WA)

Melhor ala (SF) da classe e um dos jogadores mais prontos tecnicamente. No ataque ele consegue dar apoio ao armador principal quando precisa armar jogadas e é muito efetivo na infiltração e nos arremessos de média distância. A boa forma física dele ajuda muito nas disputas de rebotes tanto no ataque quanto na defesa. Atualmente, segue sendo o grande destaque da sua equipe, liderando as estatísticas com 33,8 PPG, 16,8 RPG e 3,2 APG.

O que precisa melhorar: Porter Jr. é um jogador praticamente completo, mas ele vai ser muito efetivo para uma equipe se tiver um armador “clássico” ao seu lado. No Nike EYB, ele se destacou bastante pois tinha Trae Young ao seu lado – que municiava bastante o ataque – e ele era responsável só por finalizar as jogadas.

03. Trevon Duval (IMG Academy, FL)

Melhor armador dessa classe, ele possui uma enorme habilidade no controle da bola e é um excelente passador. Ele não é o armador que busca a infiltração, a prioridade dele é o passe. A boa visão da quadra e a forma com a qual ele muda de direção faz com que ele fique no top três desta lista. Jogando por sua equipe nessa temporada, ele já tem médias de 17,8 PPG, 3,3 RPG e 6,8 APG.

O que precisa melhorar: Por ser um armador que trabalha mais a bola fora do garrafão, os arremessos de três pontos não são confiáveis – o não pode acontecer com esse tipo de armador. Além disso, ele não defende bem contra adversários mais fortes e altos do que ele.

04. Mohammed Bamba (Westtown School, NY)

Mo Bamba é ala-pivô e também pode atuar de pivô se necessário. Ele possui uma boa altura (6’11 ou aproximadamente 2,10 m) e uma envergadura assustadora (7’8 ou 2,34 m), que ajuda na finalização das suas jogadas perto da cesta. A altura também faz com que ele tenha um potencial enorme nos rebotes: na temporada atual, ele tem médias de 10,7 PPG, 8,4 RPG e 3 BLKPG.

O que precisa melhorar: O seu trabalho no garrafão de ataque ainda deixa a desejar e a na defesa ele não ajuda muito contra as infiltrações. Ele realmente precisa ganhar mais massa muscular e melhorar o seu trabalho de perna.

05. Kevin Knox (Tampa Catholic High School, FL)

É um ala bastante atlético e consegue usar isso ao seu favor na finalização de jogadas. Tem um ótimo arremesso de média e longa distância. Vem melhorando a cada dia que passa o seu ball handling e o crossover. Na temporada atual, ele tem médias de 28,5 PPG, 12,3 RPG, 2 APG e 2 BLKPG.

O que precisa melhorar: Ele foi um jogador muito badalado por muitos scouts um tempo atrás, que chegaram a considerá-lo como o novo Ben Simmons (Philadelphia 76ers). Mas como ele não é um bom defensor e muitas das vezes mostra estar desligado na partida, fez com que essa badalação diminuísse.

06. Wendell Carter (Pace Academy, GA)

Já comprometido com Duke, este bom ala-pivô mostra uma mobilidade e explosão que faz com que ele entre neste ranking. Além desses atributos, ele também se adapta bem na posição 5 e ajuda bastante na sua boa proteção de aro.

O que precisa melhorar: Definitivamente, ele tem que melhorar nos seus arremessos de curta e média distância, em que deixa muito a desejar. Ele ainda tem que se manter focado em toda a partida: em diversos jogos, vimos ele jogando bem o primeiro tempo e sendo apático em momentos decisivos.

07. Brandon McCoy (Cathedral Catholic High School, CA)

É um pivô alto e muito forte, que domina muito bem o garrafão. Ele trabalha tão bem no ataque quanto na defesa, tem um bom timing para tocos e rebotes. Na temporada atual, ele tem médias de 28 PPG, 19 RPG e 5 BLKPG.

O que precisa melhorar: Ele não trabalha muito bem de costas para a cesta e precisa melhorar nos arremessos de média distância.

08. Collin Sexton (Pebblebrook High School, GA)

É um excelente ala-armador, e que evoluiu demais no fim dessa última temporada e fez um mundial sub-17 esplêndido. Ele é muito rápido na transição defesa-ataque, tem um ótimo arremesso de média e longa distância, tem um bom passe e é muito habilidoso no confronto um-contra-um usando o seu vasto repertório de crossovers. Na defesa, ajuda bastante nos roubos de bola e na interceptação de passes. Na temporada atual, ele tem médias de 30,9 PPG, 4,8 RPG.

O que precisa melhorar: O passe é o fundamento que ele realmente precisa melhorar. Ele dá bons passes, mas está longe de ser o melhor da classe.

09. Hamidou Diallo (Putnam Science Academy, NY)

É um garoto muito atlético e extremamente explosivo, que tem como principal característica a invasão do garrafão para pontuar. Graças à sua invejável condição atlética, é considerado um “showman” em quadra com enterradas incríveis e muita força na defesa com tocos espetaculares. Na temporada atual, ele tem médias de 18 PPG e 7,5 RPG.

O que precisa melhorar: Sem dúvida alguma, seu principal problema está na falta de consistência em arremessos de média e longa distância. Sua mecânica de arremesso é considerada perfeita pelos scouts, mas mesmo assim ele ainda não possui uma porcentagem maior que 35% do perímetro. Outro problema menos grave – mas não menos importante – é a qualidade de passe, tendo inclusive uma taxa alta de turnovers por partida.

10. Gary Trent Jr. (Prolific Prep, CA)

Ele é o ala-armador mais pronto fisicamente desta classe. É muito efetivo no ataque e faz o “arroz com feijão” na defesa. Na temporada atual, ele tem médias de 28,1 PPG, 7,5 RPG e 5 APG.

O que precisa melhorar: Por ser um jogador somente bom no ataque e na defesa, ele precisa ser mais decisivo e, assim, mostrar que pode brigar para ser a melhor escolha da classe.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Veja também